Um levantamento da Serasa Experian revelou que no primeiro trimestre de 2016 a inadimplência em condomínios aumentou 26% na comparação com o mesmo período de 2015. Isso se deve, de acordo com os especialistas, ao momento delicado que a economia brasileira está vivendo.

E, nós sabemos, a inadimplência afeta a saúde financeira do prédio e aumenta os desafios de gestão para os síndicos. A questão é: como lidar com ela?

Sobre isso conversaremos ao longo deste artigo. Você verá aqui algumas dicas para lidar com a situação. Acompanhe!

4 dicas para lidar com a inadimplência em condomínios

Desde março está em vigor no Brasil o novo código civil que, entre outras coisas, reconhece a dívida de condomínio e encurta o processo de cobrança. O devedor agora tem até três dias para pagar a dívida. Caso não ocorra, as consequências serão ter seu nome negativado, ver sua conta bancária bloqueada e até a penhora do próprio imóvel.

Para não precisar chegar ao extremo, os síndicos têm algumas alternativas. Elas seguem descritas nestas dicas:

1. Reforce as táticas de cobrança

Aproveite a nova lei para reforçar a cobrança aos devedores. Se necessário, contrate empresas especializadas em cobrança. Abra canais de negociação e demonstre que é possível encontrar um meio termo que seja confortável tanto para o condômino devedor quanto para o condomínio.

Mas, não deixe de partir para ações judiciais quando o diálogo não for suficiente. É importante deixar claros os prazos para cobranças extra judiciais e judiciais, inclusive demonstrando com transparência o valor das multas em cada período.

2. Não abra mão das multas

Outra dica importante para que a inadimplência diminua é não fazer acordos nos quais as multas e juros são diminuídos ou até mitigados, pois isso pode trazer um certo comodismo aos devedores. Sabendo que haverá “misericórdia”, os moradores tendem a tirar a dívida do condomínio de suas filas de prioridades.

3. Aborde o morador inadimplente com formalidade

Por outro lado, evite abrir brechas para que os condôminos se sitam humilhados ou para que possam alegar que passaram por vexames. Uma comunicação formal, por meio de cartas e e-mails, neste caso, pode ser a melhor saída. Evite conversar pessoalmente ou ao telefone, uma vez que pode ser mal interpretado ou distorcido. Logicamente, fazer cobranças em público faz com que o devedor se sinta humilhado.

4. Use a tecnologia para melhor administrar a inadimplência

Por fim, é importante que, como síndico, você aproveite o poder da tecnologia para fazer a administração do condomínio. Com um bom sistema de gestão de condomínios é possível tornar os controles mais efetivos, padronizar a comunicação, ganhar tempo com os processos burocráticos do dia a dia, disparar correspondências padronizadas de comunicação e cobrança, acompanhar pagamentos e dívidas dos condôminos entre outras funcionalidades.

O bom uso da tecnologia também pode facilitar a geração de relatórios gerenciais que podem servir de base para a realização de reuniões de condomínio — com informações atualizadas e bem fundamentadas, você ganha mais argumentos na hora de demonstrar como a inadimplência está afetando os serviços do condomínio, por exemplo.  

Como você tem lidado com a inadimplência em condomínios? Gostou destas dicas? Leia também: As 5 maiores vantagens de utilizar um software de gestão de condomínios.