Administrar um condomínio não é tarefa fácil. São muitas pessoas convivendo juntas, com demandas e necessidades diferentes. Mas, em tempos de crise, todos têm uma coisa em comum: querem economizar nos gastos. 

Uma das formas de conseguir essa economia está no controle das despesas com água e energia elétrica do prédio. Cada morador tem um padrão de uso, mas, muitas vezes, o valor total e as multas por excesso de consumo são repartidas entre todos os condôminos.

Seu prédio está passando por problemas de descontrole com as contas de água e luz? O assunto já foi discutido em assembleia, mas o consumo continua subindo? Aqui você confere algumas dicas que ajudam a colocar os gastos dentro do orçamento. 

Promova a individualização do consumo

É difícil controlar o consumo de água e energia sem saber quanto cada um está gastando.

Quando o pagamento é coletivo, alguns moradores usam mais, outros menos, mas todos são penalizados diante do aumento das contas, o que acaba gerando atritos e descompromisso com a economia. 

Por isso, sempre que possível, é válido priorizar a instalação de hidrômetros e medidores de consumo de energia elétrica individuais, para cada unidade do condomínio.

Assim, o morador pagará aquilo que efetivamente usar. Também poderá comparar o seu consumo mês a mês e perceber quando estiver se excedendo no uso.

Da mesma forma, o síndico terá mais condições de alertar as unidades que estão extrapolando o consumo ideal.

Fique atento às áreas comuns

Os condôminos também têm que arcar com as despesas de água e energia das áreas de convivência do prédio. Esse custo está embutido na cota condominial.

No caso da energia elétrica, a maioria das construções conta com sistema de luzes automáticas que ajuda nesse controle. 

É importante fazer a manutenção desse sistema para garantir que não há falhas, verificando se existem luzes acesas desnecessariamente em alguns andares ou espaços. Considere ainda que, em prédios que recebem bastante luz solar, esse sistema pode ser acionado apenas durante a noite.

No caso da água, os funcionários do condomínio devem estar orientados sobre como proceder na limpeza das áreas comuns, utilizando baldes em vez de mangueiras, por exemplo. 

Quando o condomínio tem piscina, alguns cuidados básicos também ajudam nesse controle. Estima-se que 90% da água de uma piscina é perdida mensalmente, apenas em razão da evaporação. Cobrir a piscina em desuso com uma capa ajuda a reduzir essa perda. 

Revisar a bomba e o filtro da piscina de maneira periódica também contribui para a redução dos gastos, pois o mau funcionamento desses equipamentos pode ampliar o consumo. 

Permaneça de olho nos vazamentos

Nem sempre é fácil identificar um vazamento, pode demorar para que algum morador se sinta incomodado com o problema e, enquanto isso, muita água já terá sido perdida.

A prevenção é a melhor forma de lidar com esse tipo de ocorrência. Fazer vistorias periódicas no encanamento do prédio, não só nas áreas comuns, mas em todas as unidades, ajuda a identificar problemas no início e a controlar os gastos. 

Estimule a economia

Campanhas de conscientização têm impacto nos gastos do condomínio, especialmente quando são fundamentadas em dados. Os condôminos têm a real noção do que foi gasto e do que foi economizado, e se sentem motivados a melhorar para os próximos meses.

Utilize murais e elevadores para divulgar os gastos do condomínio com água e energia, estabeleça metas de consumo e dicas sobre como cada morador pode economizar.

A ferramenta de Lançamento de Consumo do ByDoor pode auxiliá-lo nesse processo. Nela, você consegue registrar consumos como água, gás, luz e telefone, utilizando essas informações para conscientizar moradores e funcionários. 

Ficou interessado em saber mais sobre como controlar o consumo de água e energia e melhorar a gestão do seu condomínio? Entre em contato conosco.