A manutenção predial é uma das responsabilidades mais importantes do síndico. Afinal, não deixar problemas acumularem é uma das principais atribuições desse profissional, e essa prevenção serve justamente para isso.

Ela pode ser divida em três categorias: preventiva, corretiva e emergencial. A manutenção preventiva é a ideal, pois age antes de qualquer problema acontecer e, por isso, é a mais barata e eficiente.

A corretiva é usada quando algum equipamento apresentou defeito ou uma parte do prédio precisa de intervenções, mas nada muito grave. Finalmente, a emergência é o recurso empregado em obras que não podem mais ser adiadas, sob o risco de causar danos maiores à estrutura.

Neste artigo você vai entender melhor sobre a manutenção predial e sua importância. Em seguida, vai conferir os principais itens dessa atividade. Por fim, vai conhecer as consequências obtidas ao negligenciar esse importante aspecto. Boa leitura.

Por que é importante fazer manutenção predial?

A manutenção predial contribui para a preservação do edifício, bem como para o conforto, segurança e higiene dos moradores e funcionários. Além disso, ela é economicamente vantajosa. Quem cuida bem dessa função desperdiça menos dinheiro com consertos, obras e aquisição de equipamentos novos.

A preservação contínua evita danos aos veículos causados por um portão de garagem com defeito, impede que a queda de uma árvore machuque alguém, mantém os elevadores funcionando, não deixa que ninguém fique sem banho por causa da limpeza na caixa d’água e contribui para um ambiente limpo e livre de pragas, como insetos.

Quais os principais itens da manutenção predial?

Fachada

A “cara” do prédio deve receber manutenção a cada 3 anos. Trata-se de uma das partes mais importantes do condomínio, tanto por questões estéticas quanto de segurança.

Um prédio com uma aparência desleixada pode atrair ladrões, uma vez que sinaliza que seus itens de segurança também não devem estar em bom estado. Além disso, a fachada contribui para o valor de revenda dos imóveis e, portanto, ela deve ser limpa com mais frequência.

Calçada e árvores

A calçada diante do prédio é de responsabilidade do condomínio. Árvores grandes podem causar grandes danos em qualquer dia de chuva ou vento forte — é difícil saber o real estado de saúde delas. Por isso, convém telefonar para o serviço da prefeitura sempre que os galhos aparentar que vão gerar ameaças aos transeuntes ou carros estacionados.

Instalações hidráulicas

Caixas de passagem de esgoto e gordura devem ser revistas a cada 6 meses, sendo que a caixa d´água deve ser limpa pelo menos uma vez por ano. Trata-se da água que usamos para tomar banho e escovar os dentes, portanto, sua importância para nossa higiene e saúde não pode ser superestimada.

Um bom síndico aprende a fazer essa manutenção com o mínimo de interrupção na rotina dos moradores. O ideal é que a caixa seja esvaziada e limpa — não adianta apenas usar produtos químicos.

Instalações elétricas

Conexões, estados dos contatos elétricos e seus componentes devem ser inspecionados por uma equipe especializada a cada 2 anos ou menos, em caso de qualquer sinal de defeito. A eletricidade é um dos fatores mais importantes na segurança do prédio. Ela mantém elevadores funcionando, abre a porta da garagem e é necessária, obviamente, para as câmeras e outros dispositivos de segurança.

Cobertura

Uma vez por ano, uma equipe de manutenção predial deve ir à cobertura verificar a integridade de componentes, vedações e fixações. O teto do prédio acumula muita sujeira com o tempo, em especial se houver um edifício mais alto ao lado cujo os moradores joguem lixo, brinquedos ou outros objetos no vizinho, até mesmo por acidente.

Elevadores

Os elevadores precisam de manutenção anual e modernização total ao completarem 15 anos. Capas de proteção, principalmente nos que são usados para carga, ajudam a reduzir riscos e outros danos ao longo do uso — crianças devem ser orientadas a não brincarem nessa área.

Extintores de incêndio

Outro item fundamental para a segurança, mas que é frequentemente negligenciado, o que pode resultar em consequências trágicas. Siga rigorosamente as instruções do fabricante e troque os extintores antes do prazo de validade para não correr o risco de ficar sem eles até os novos chegarem.

Quais as consequências de não investir em manutenção predial?

Conflitos entre moradores

Desavenças entre moradores são frequentes em prédios que não cuidam da manutenção. Por exemplo: defeitos hidráulicos podem gerar goteiras nas residências dos vizinhos, o que causa inúmeros transtornos e até desavenças.

Esses casos geram atritos entre os moradores, porém, é comum que os condôminos se reúnam contra o síndico para reivindicar essas melhorias. Sendo assim, é crucial que o profissional esteja um passo à frente e antecipe qualquer tipo de problema dessa natureza para evitar conflitos mais graves.

Agravamento dos problemas

Os problemas intocados não vão embora, eles pioram. Alguns síndicos, especialmente em fim de mandato, sentem-se tentados a deixar a responsabilidade para a próxima administração. Isso é um erro, porque, na maioria das vezes, ambos continuarão morando no mesmo prédio.

O que é hoje um pequeno vazamento pode causar muitos danos no futuro, e um equipamento em bom estado pode sofrer perda total com o tempo. A manutenção predial serve principalmente para manter o condomínio livre de problemas novos.

Redução da vida útil

Todo equipamento tem uma determinada vida útil. Mesmo os prédios antigos nos centros das grandes cidades já trocaram seus elevadores originais, por exemplo. Porém, é possível fazer tudo durar mais com o cuidado adequado.

A manutenção predial é economicamente vantajosa porque faz os equipamentos do prédio renderem por mais tempo, reduzindo a necessidade e a frequência com que devem ser trocados. Portanto, ela não só reduz dores de cabeça, mas também as despesas de condomínio com novas obras. Deve ser entendida como um investimento, que se mostra vantajoso com o tempo.

Manutenção predial é coisa séria, mas não precisa ser um bicho de sete cabeças. Com uma rotina adequada de inspeções e conhecendo bem o próprio condomínio, o síndico tem tempo e capacidade para adquirir os serviços adequados e manter tudo funcionando. É o mais correto, mais seguro e também o mais barato.

Essas dicas foram úteis para você? Então, compartilhe este post nas suas redes sociais e comece uma conversa com os moradores!